Editorial Arauto 75

“Quem é mafioso não vive como cristão”

“Não se pode acreditar em Deus e ser mafiosos. Quem é mafioso não vive como cristão, porque blasfema com a vida contra o nome de Deus-amor”, e hoje “temos necessidade de homens e de mulheres de amor, não de homens e de mulheres de honra; de serviço, não de subjugação; temos necessidade de homens e mulheres, de caminhar juntos, não de perseguir o poder. Se a ladainha mafiosa é: “Você não sabe quem eu sou”, a cristã é: “Eu preciso de você”. Se a ameaça mafiosa é: “Você vai pagar para mim”, a oração cristã é: “Senhor, ajuda-me a amar”. Por isso aos mafiosos eu digo: mudem irmãos e irmãs! Parem de pensar em si mesmos e em seu dinheiro. Você sabe, vocês sabem, que o Sudário não tem bolsos. Vocês não podem levar nada com vocês.  Convertam-se ao verdadeiro Deus de Jesus Cristo, queridos irmãos e irmãs! Eu digo a vocês, mafiosos: se não fizerem isto a vida de vocês será perdida e será a pior das derrotas”.

(Para Francisco,2018)

Nesta Homilia Sua Santidade exorta-nos para a necessidade de pôr mãos-à-obra, pois não podemos seguir Jesus meramente com conceitos, questionando para o que podemos fazer pelos outros e pela Igreja?

““Não espere que a Igreja faça algo por você, comece você. Não espere que a sociedade o faça, comece você! Não pense em si mesmo, não fuja da sua responsabilidade, escolha o amor! Sinta a vida das pessoas que têm necessidade, escuta o teu povo. Tenham medo, tenham medo, da surdez de não escutar o seu povo.  Este é o único populismo possível: escutar o seu povo, o único “populismo cristão”: ouvir e servir o povo, sem gritar, acusar e provocar contendas”.

A compreensão deste desafio, transporta-nos para a figura do Escuteiro Adulto, e a sua Missão.

A missão do Escuteiro Adulto, é uma vocação missionária ao chamamento de Deus, que nos pede uma entrega ao bem comum e às nossas comunidades, deixando nos pelo caminho pedras soltas que nos colocam constantemente à prova, numa demonstração de amor pelo reforço que cada superação nos concede.

A comunicação é essencial, sendo necessário que seja praticada com clareza, para que aqueles que a recebem, não a sintam como injuria saber que uns quantos afortunados a percebem enquanto a maioria desconhece. Para tal é de extrema importância o papel da formação, e dos formadores para chegarem a TODOS nos processos de formação do Escuteiro Adulto, que é dispare do Escuteiro Jovem, cabendo o necessário ajustamento, compreensão e aplicação das bases do método formativo, do percurso escutista.

“A renovação não deve meter medo” (Papa Francisco,2019), estamos todos na mesma barca, mas nem todos podem ser timoneiros, porém nessa barca precisamos de falar a uma só voz, a voz da fraternidade em unidade, com dedicação, dinâmica e amor.